Para assinalar a proibição das lâmpadas de halogéneo, a Signify estabeleceu uma parceria com Deborah Sugg Ryan, Professora de História e Teoria do Design da Universidade de Portsmouth para revelar os 50 principais objectos domésticos que ficaram obsoletos nas últimas décadas.

Utilizando a sua lente especializada em cada divisão, Ryan identificou os objectos que gradualmente evoluíram ou foram descontinuados, sendo a lâmpada incandescente a mais recente adição ao arquivo doméstico.

50 Principais Objectos Obsoletos que desapareceram das nossas casas:

1. Lâmpada incandescente11. Televisão de tubo de raios catódicos21. Fogão de combustível sólido31. Batedor de ovos giratório41. Gameboy
2. Telefone de marcador giratório12. Projector de slides22. Guarda-comidas32. Ampulheta42. Walkman
3. Atendedor de chamadas13. Álbum de fotografias23. Cobre33. Lata com anel de abertura43. Fax
4. Mesa para telefone14. Consolas de jogos com cartuchos24. Instrumentos para lavar roupa à mão34. Passe-vite44. flash de cubo
5. Páginas amarelas15. aspirador de alcatifas25. Tábua de lavar roupa35. Balança com dois pratos45. Máquina de escrever
6. Donkey stone16. Lareira de barras eléctricas26. Escorredor de roupa36. Ferro a gás46. Disquete
7. Gira-discos de vinil17. Escotilha27. Máquina de lavar de cuba dupla37. Roupeiro compacto47. Modem de acesso telefónico
8. Radiograma18. Carrinho para transporte de comida28. Ferro de alisar38. Cafeteira Eléctrica48. Pager
9. Cassete/leitor de cassetes19. Louceiro de cozinha29. Sabão azul e branco39. Rádio de colunas incorporadas49. PDA
10. leitor de VHS20. Lista de compras para a casa30. pastilhas de sabão40. Câmara de vídeo50. Impressora margarida

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata