O Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 deixa um rastro de bocas abertas por onde passa. São “ohs” de espanto e admiração pelas belas linhas. Mas outros “ohs” acontecem quando o guiamos. Temos carrão!


Confesso que aguardava com grande expectativa a possibilidade de poder experimentar este belo, belíssimo, Alfa Romeo Stelvio Q4.

Marquei, inclusive, um fim de semana alargado com uma grande potencialidade de variáveis, desde climatéricas, ao terreno e suas condições adversas.

Consegui-as quase todas!

O Stelvio que me calhou é o modelo 2.2 Diesel com 210 cavalos na versão Q4, ou seja, tracção permanente.

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

Se chegou para me entusiasmar? Sim e muito! O comportamento é dinâmico, muito estável, correcto e o modo DNA dá para “brincar” com os três comportamentos e afinações distintas.

Tanto podemos escolher uma toada de poupança em auto estrada (ECO) como em grande, enfim, brincadeira nas subidas de uma serra em modo Desportivo.

Por fora o Stelvio impressiona pelo seu tamanho. É realmente um SUV grande e as linhas, esbeltas como poucas, fazem-no brilhar em qualquer local, seja estacionado como em andamento.

Todos os olhos se viram e os comentários acontecem. Quase sempre de grande apreço, algum espanto, e, sempre, mas sempre, com alguns minutos de pausa para admirar todos os ângulos.

O Stelvio puxa por nós. Faz-nos sentir, como ele, mais altos, espadaúdos, entroncados e aptos para calcorrear este mundo e o outro.

E foi nesse super homem que me transformei durante quatro dias.

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

A Viagem para lá

Três adultos, bagageira (que é enorme) cheia de roupas polares mesmo sendo Primavera e início de Junho.

Afinal, o destino para pernoitar era no topo da Serra do Larouco e os locais dizem que por lá faz sempre frio.

As centenas de quilómetros em auto-estrada são perfeitos para entender o quão bom é este Alfa Romeo para aventuras de sol a sol.

Muito equilibrado em modo Full Auto, em que só precisamos de marcar a velocidade de cruzeiro para também nos deixarmos encantar pelas várias regiões do nosso grande país, este “monstro” pega fácil nas curvas, trava sem adornar quando em releve contrário, acelera bruscamente quando necessitamos de mais velocidade e, sempre, com um conforto de limusina.

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

O Interior

Aliás, o interior é luxuoso, principalmente nesta versão full extras, com dois painéis LCD, um ao centro do painel de instrumentos que é perfeito para nos indicar o caminho, com legendas gráficas grandes e simples, e o principal “multiusos” de 8,8” que podemos dividir para ter dois quadros informativos diferentes para além de muita informação dedicada ao rádio ou fonte de áudio, etc.

No centro do painel central, entre uma grande gaveta para acomodar duas latas ou garrafas de água e uma gaveta de enormes proporções, encontram-se três comandos circulares.

O da esquerda diz respeito aos três modos de condução DNA, ao centro o principal com o Menu que tudo faz e de extrema facilidade de aprendizagem, sendo muito funcional e completo (por exemplo, podemos escolher o ponto certo da reprodução do som musical no interior do habitáculo) e à direita os comandos directos para a reprodução áudio (que replicam alguns colocados no volante multi-funções).

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam
Luxo e design

Existem pequenos luxos por todo o lado, desde a abertura e fecho do grande portão traseiro (através do comando ou dos botões na porta), a gaveta que abre e fecha por click, os sinais sonoros de aproximação ao perigo ou obstáculos, a câmara de vídeo traseira que também nos avisa “se vem lá alguém”, a segurança activa e passiva que se sente e vê através de avisos luminosos do ângulo morto ou no painel quando um qualquer obstáculo nos surge em frente (no meu caso foi um animal selvagem ao sair de uma curva apertada), enfim, não falta mesmo nada a este Stelvio.

Bom… talvez um painel táctil para facilitar ainda mais o trabalho.

A Aventura pela Serra

Ter um Stelvio na mão obriga a escolher percursos que fogem à regra.

Para terem uma noção, que se pode apreciar pelas fotografias que fui tirando, apanhei de tudo, desde nevoeiro tão denso que não se via um palmo à frente do farol, como uma chuva miudinha lá por cima das nuvens.

Subir, sempre a subir para chegar onde poucos chegam com neve. Mas, felizmente, não nevou e todo o caminho foi feito sem um queixume deste grande italiano.

Aliás, confesso, experimentei alguns fora de estrada, como chegar mesmo à beira de água numa barragem apenas formidável, depois de ver o mais recente episódio do conhecido Top Gear em que o Stelvio se bateu contra um Volvo e um Range Rover para os levar de vencida.

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

Pensei sempre, desde Lisboa até ao Larouco, se eles fizeram “aquilo” ao carro (vale muito bem a pena ver esse episódio), bem posso dar-me ao luxo de ir onde poucos vão.

E sabem uma coisa, fui e vim. E o Stelvio sempre a mostrar que pode mais, que quer mais, que aguenta tudo e mais alguma coisa.

E fá-lo, atenção, no mais puro conforto dos grandes bancos de pele, embalados pelo som envolvente do sistema áudio, com temperatura perfeita com o AC ligado e dividido pelas zonas dos passageiros, uns mais friorentos que outros, e tudo o mais.

A cada metro, a cada km percorrido, percebi que os sorrisos de satisfação dos passageiros, entrecortados com alguns espantos do género “não passa aqui, não vai fazer isto, não vamos subir ali”, mostravam ao vivo e em directo a verdadeira alma deste SUV. Posso mesmo dizer, deste carrão!

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

Modo Auto, Modo Manual

O mas difícil no meio da proliferação de possibilidades é escolher entre guiar em modo sequencial através da maneta de mudanças ou com as patilhas atrás do volante. Sim, continuamos a falar de um SUV.

Confesso: vejo patilhas e o piloto de Fórmulas que existe em mim acorda para a vida. E então num percurso de curva e contra curva serrano, que obriga mesmo a puxar por tudo o que este Stelvio tem para oferecer.

Assim o fiz mas, confesso, sozinho, deixando os convivas a preparar o repasto (afinal estávamos em plenas terras barrosãs).

Rodei o botão DNA para Active, tudo ficou vermelho, olhei em frente, agarrei-me ao volante, apertei o cinto e lá fui eu.

Fazer à séria uma estrada destas merece duas coisas: que a conheçamos milimetricamente e que não exista trânsito. Bom, lá a fui conhecendo com alguma calma, mas assim que percebia que dava para forçar mais um pouco, não me acanhava.

O problema, em alguns percursos, foram os centenas de motards do Lés a Lés que decidiram visitar a zona.

O Stelvio é apaixonante! Deveras entusiasmante.

Mesmo com este motor com 210 cavalos e que demora a responder como se fosse um gasolina.

É que este SUV é grande e algo pesado 1740 kg (se pensarmos nas dimensões, mas a utilização de materiais leves conseguiu este feito extraordinário).

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 – análise ao SUV que todos desejam

Consumos e Notas finais

A pergunta que se fazia no regresso era quanto se ia gastar em combustível com toda esta imensa aventura em que se calcorreou cerca de 1500 km.

A resposta foi sendo dada pelo computador de bordo que me ia indicando os valores de consumo assim como a distância que, àquela velocidade, conseguiria perfazer.

Na verdade, é neste campo que optar pelo Diesel pode valer a pena para quem faz geralmente grandes viagens.

A marca aponta que o consumo aos 100 nem chega aos 5 litros. A minha experiência fica ali entre os 6 e os 8, dependendo do esforço e do que se puxa por ele.

O que mais me agradou foi, sem dúvida, a boa capacidade off-road, o extraordinário equilíbrio dinâmico, o conforto a bordo, tanto nos bancos dianteiros como traseiros, e a capacidade da mala (que ainda pode ser rebatida 40/20/40) que oferece uns bons 525 litros.

Mas, e acima de tudo, as linhas deste carro seduzem ao primeiro olhar. Mesmo na cor frigorífico.

Alfa Romeo Stelvio 2.2D Q4 - análise ao SUV que todos desejam

O Alfa Romeo Stelvio Q4 passou com distinção esta grande aventura e recebe o selo de Ouro VOICEBOX.

PVP: (a partir de) 57.200€

Voicebox selo de ouro
Voicebox selo de ouro

Galeria

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata