HP Deskjet 3720 – O desafio da HP foi lançado a alguns meios de comunicação aquando a apresentação da tecnologia Instant Ink, alguns meses atrás. Como correu?


Ficou combinado que me fariam chegar uma HP Deskjet 3720, um modelo muito apreciado pelos consumidores domésticos, devido às cores mais apelativas e, acima de tudo, ao formato muito compacto para uma tudo em um.

Chegou-me em branco em azul e, realmente, a primeira noção é que estamos, talvez, perante a multi-usos mais pequena e leve do mercado.

Análise 3 meses de Instant Ink com a HP Deskjet 3720

Instalação

A instalação é um tudo ou nada complicada.

Ao contrário de algumas soluções, foi-me pedido para ligar a 3720 por cabo USB e a partir daí instalar os drivers no PC que me permitiram em seguida fazer a conexão por WiFi.

Depois de instalada na rede doméstica, é com facilidade que é reconhecida por todos os demais equipamentos, desde computadores a smartphones.

Outro ponto que não me agradou foi a velocidade de impressão.

Como era extraordinariamente lenta, o que já não é comum nem nas gamas mais básicas, fui tentar perceber a razão, o que me levou a um update de software que melhorou a velocidade mas não a tornou supersónica.

De qualquer forma, e acima de tudo, esta Deskjet 3720 vale pela facilidade que é arrumá-la em qualquer lado.

Atentem, contudo, que os botões, o pequeno LCD informativo e os leds de aviso estão colocados na face virada para cima o que dificulta ou impossibilita a leitura se a arrumarmos num plano elevado.

Interessante foi descobrir, sem ler as instruções, como fazer um Scan ou uma cópia, visto que há muitos anos não utilizava uma impressora com este tipo de formato.

Graças à função HP Scroll Up, basta colocar o papel a digitalizar ou copiar com a face virada para cima no espaço logo abaixo da “pega” que esconde o scanner.

Temos de juntar a folha ao pequeno triângulo de plástico à direita para um pequeno sensor percebê-la e accionar um motor que a puxa uns centímetros.

Depois basta dar a ordem.

Mas atenção: aconteceu-me, muitas vezes, e devido à falta de miras físicas, que a folha ao ser puxada vá entortando uns milímetros e que a imagem do Scanner possa ficar imperfeita.

Não é muito grave se optarmos por fazer uma ligeira edição pós operação, mas poderá ser um factor menos bom para quem não está habitado a estas coisas.

Contudo, esta HP é um modelo para um utilizador mais jovem que está mais que a par deste tipo de situações e/ou necessidades.

De resto tudo é simples: a alimentação de folhas faz-se por trás, e a bandeja frontal recebe-as.

O Instant Ink

Chegamos então ao teste que suscita o maior interesse, a praticabilidade do novo conceito Instant ink.

O Instant ink é um serviço de subscrição de tinteiros, ou seja, pagamos mensalmente um fee como no serviço triple Play lá de casa ou pelo streaming do Netflix.

Com a impressora vêm, como é tradicional, um conjunto de tinteiros. Neste caso, um preto e outro a cores.

É-nos pedida a inscrição no sistema da marca com os elementos pessoais e dados de conta.

Sim, vamos ter de preencher os números do cartão de crédito ou similar.

Temos de escolher uma de três opções/planos:

  • €2,99/ mês para impressões ocasionais (50 páginas por mês)

  • €4,99/mês para impressões moderadas (100 páginas por mês)

  • €9,99/mês para impressões frequentes (300 páginas por mês)

A impressora faz um conjunto de testes para saber se tudo está ok e, a partir daí, é começar a imprimir.

Análise 3 meses de Instant Ink com a HP Deskjet 3720

Quais são as vantagens imediatas?

Poupar o balúrdio que um pack de tinteiros custa e evitar a deslocação e gastos de tempo e dinheiro até à loja.

É um luxo receber por correio os tinteiros necessários a tempo útil e nunca mais pensar no que custa imprimir uma página a cores.

E quais as desvantagens?

Para além de ser obrigatório optar por uma impressora HP compatível, temos de perceber qual ou se algum dos planos nos é favorável.

A associação do Cartão de Crédito pode ser evitada ao utilizarmos outro tipo de forma de pagamento.

Mas a possível, embora negada pela marca de forma veemente, perda de privacidade, pode assustar alguns potenciais clientes.

Mas como poderá essa possibilidade acontecer? Através do chip que comunica com a HP para indicar o tipo de consumo, quando precisamos de novos tinteiros e quantas páginas “gastámos”.

Mas será que vale a pena?

Vou descrever o meu próprio exemplo: há meses em que não imprimo uma folha em casa, mas há outros radicalmente diferentes, por exemplo este, em que já despejei dois packs de tinteiros devido a uma proposta que tenho trabalhado.

Se fizermos as contas, e se um pack completo para a minha impressora custa cerca de 70€, já gastei 140€ este mês o que é, a todos os títulos, uma fortuna para quem depois não pode descontar esta despesa em lado algum.

Uma subscrição mensal no plano mais baixo (3€ grosso modo) custa anualmente 36€.

Mesmo o serviço topo de gama por 10€ mensais sai a 120€ anuais…. ora se gastei 140 neste mês…

Mas vamos a outras considerações: a verdade é que este exemplo vale o que vale e muitos de nós sabemos mais ou menos quantas folhas se imprimem lá em casa.

Agora vamos a outras dúvidas levantadas na apresentação: então e se, por exemplo, ultrapassar o número máximo de impressões, digamos, por duas ou três?

O “tinteiro” sabe e envia os dados à HP.

Durante os meses em que são necessárias páginas adicionais, os clientes poderão subscrever conjuntos de 15, 20 ou 25 páginas por apenas mais 1€ dependendo do plano que subscreveram.

Há, no entanto, alguma justiça em todo o enquadramento; vamos supor que imprimimos sempre 40 folhas em vez das 50.

Essas 10 acumulam para o mês ou meses seguintes.

Ok, boa medida! Ah, e o primeiro mês é gratuito e também podemos cancelar o serviço quando desejarmos.

Análise 3 meses de Instant Ink com a HP Deskjet 3720

Conclusão

É, acima de tudo, um serviço diferenciador que permite controlar os gastos mensalmente.

Tem as suas vantagens mas não é perfeito, como podem constatar pelo texto.

É um serviço mais adequado para a malta que quer imprimir fotografias para os seus trabalhos do que para quem que faz trabalho de escritório.

Esta é, sem dúvida, a vantagem, pois a conta é feita à folha impressa e não à quantidade de tinta que nela se gasta.

Mas atenção, a Deskjet 3720 não é uma impressora fotográfica, para isso há que optar por um modelo com características diferenciadas para todos os fotógrafos que leram esta análise e já perceberam a mais valia do Instant Ink.

Por tudo isto, deixo um desafio: que tal comprar uma HP compatível com este processo e testar em casa ou na pequena empresa?

Depois é só fazer as contas e estou convencido que vai garantir uma poupança real a muitos utilizadores.

PVP: 70€

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata