Auscultadores sem fio, com design original e preço atraente que são vendidos por uma cadeia de supermercados. Será que o som compensa o investimento?


Não é difícil encontrar uns auscultadores perfeitos. Basta ter na conta entre 300 a 500€ disponíveis e ir a uma loja online ou física. Existem alguns modelos com mais de cinco estrelas, de quatro ou cinco marcas, para nos embalar com graves, médios e agudos. O problema está em encontrar uns auscultadores wireless que sejam baratos mas que, pelo menos, soem bem. Será que estes Qilive correspondem ao desejo de gastar uma quantia “humana”?

Chegaram num dia de sol dentro de uma caixa com algum peso, bom sinal quando se trata de um equipamento que desejamos sólido e bem construído. A Auchan, cadeia bem conhecida da distribuição alimentar, aposta forte nesta sua marca própria e exclusiva. E, pelo menos, alguém pensou acertadamente que, acreditando na qualidade do produto, deveria pedir a opinião de alguns analistas de equipamentos tecnológicos e chegaram até ao Voicebox. Confessei a curiosidade pois sei bem que existem muito produtos made in China pensados com design europeu e regulamentados tecnicamente. E o peso da caixa prometia uma surpresa.Análise auscultadores Qilive Q.1007

 

Antes de mais, os Q.1007 têm um design inconfundível e apresentam-se em quatro cores à escolha, todas elas mais engraçadas que a pouco masculina rosa que me calhou em sorte. Mas os gostos não se discutem, pois o que interessa é a construção e a qualidade de reprodução. Com diâmetro de 40mm e gama de frequências 20-20000Hz, os Q.1107 vêm equipados com Bluetooth 4.1 e NFC para ligação por simples toque. A autonomia chega às 20 horas, mas ainda existe um truque para poupá-la ao longo do dia. Mas antes disso, referir que podemos também ligar os Q.1007 por cabo 3,5mm ao reprodutor ou computador, cabo que vem acompanhado de um outro USB para recarregamento (e que são da cor dos phones). Infelizmente, a caixa não vem com um carregador, o que se percebe porque já os temos em casa, mas que pode fazer falta a quem, por exemplo, compre o modelo antes de entrar num avião e que, pelo menos, poderia desse modo carregar qualquer percentagem no átrio de espera.

Análise auscultadores Qilive Q.1007

Emparelhar o Qilive com o equipamento desejado é muito fácil. Basta carregar longamente no único botão físico existente que tem o símbolo de um telefone, ou seja, percebemos automaticamente que também podemos atender chamadas sem ter de retirar os auscultadores da cabeça. A coisa faz-se em segundos, pouco tempo para continuar a admirar o traço e design. Saltam à vista dois pormenores que são as pontas do aro e que acumulam funções: do lado esquerdo está a ranhura com a ligação microUSB e do lado direito a saída para o cabo áudio assim como um botão multifunções. Rodando-o para um lado ou outro, aumentamos ou diminuímos o volume assim como mudamos de faixa para a frente ou para trás, ao mater a pressão durante mais tempo. A coisa acaba por ser bastante útil e bem mais fácil de aceder que os comandos tácteis que alguns auscultadores montam nas conchas. Ou seja, o que é estranho acaba por ser o aspecto mais útil do conjunto.

Análise auscultadores Qilive Q.1007

Outra característica interessante é a possibilidade de colocar a música em pausa e com isso poupar a bateria, sem necessidade de desligar os equipamentos. Basta rodar as conchas 45º. Simples, não é?

A qualidade de construção vai do muito bom (alumínio no aro e nas extremidades mencionadas) ao quanto baste (a qualidade das almofadas) passando pelo menos positivo (o plástico das conchas). Mas, grosso modo, e pelo preço proposto, é um equipamento muito equilibrado e que vale o que se pede.

E agora a qualidade sonora: confesso que não estava à espera que o som fosse tão quente e preenchido. Afinal, falamos de um preço pouco acima da meia centena de euros, onde abundam auscultadores que mais valia não existirem. Os Qilive Q.1007 fazem bem o seu papel e as almofadas cumprem a questão do conforto sem aquecer rapidamente os ouvidos. O ruído exterior até consegue ser abafado em parte, o que demonstra algum cuidado na concepção técnica. Resumindo, e sem ser extraordinários, cumprem bem as funções gerais, dando algum punch ao rock mais batido como tratam elegantemente a música mais erudita. E, neste campo, conseguiram surpreender-me.

Análise auscultadores Qilive Q.1007

Não percebi grande diferença entre a reprodução por wireless ou através do cabo, portanto, não se ganha grande coisa em optar por estarmos ligados fisicamente a qualquer equipamento.

Resumindo, e pelo preço a que são propostos, podem ser a solução para muito boa gente. Bom, o rosa dá nas vistas…. mas há azul, preto e branco.

PVP: 60€

à venda aqui.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga o VoiceBox

QUAL O MELHOR SMARTWATCH 2017?

A ESTREIA EM DUAS RODAS

Vídeo da semana

https://www.youtube.com/watch?v=cRzmX32ThCQ