Auscultadores sem fios com cancelamento de ruído, muito leves, com soluções fora do comum e uma qualidade invejável. Prestem muita atenção.


Para quem viaja de avião ou comboio, ou até autocarro ou ainda como passageiro de um carro, sabe bem que os ruídos da viagem podem incomodar-nos até à exaustão, principalmente se for um bebé aos gritos ou a senhora no banco de trás que conta as suas maleitas ao azarado que calhou estar ao lado.

Serve esta pequena introdução para ovacionar a tecnologia de cancelamento de ruído que muito faz pela sanidade mental de quem se pode dar ao luxo de adquirir uns auscultadores com esta fantástica solução. Basta carregar num botão e, de acordo com os euros que se gasta, conseguirmos um bilhete para entrar no nosso mundo próprio habitado pelos artistas que veneramos ou os autores que “podcastam” o que vamos acompanhando.

Há várias marcas com soluções que até servem várias bolsas e a Sony está nesse top 3 rivalizando directamente com a Bose que durante anos foi a líder incontestável deste nicho tecnológico.

Análise Sony WI-1000X

Chegaram-me recentemente aos ouvidos duas soluções, o modelo EXTRA BASS XB950N1 (250€), de que não guardo saudades devido a duas características principais: o tamanho exagerado que depois pesa na cabeça e cansa o utilizador e o som realmente “Extra Bass” que, confesso, é demasiado poderoso e grave para mim. Devido a este meu torcer de nariz, que comuniquei à marca, trocaram-me os ditos pelo seu oposto, o que não deixa de ser curioso: a solução mais leve e compacta que a marca tem no momento são estes auriculares WI-1000X que, por esta e aquela razão, custam bem mais euros que os Extra Bass, o que os coloca na mesma prateleira que os extraordinários MDR-100ABN que já analisei neste espaço. Então, porquê o preço tão alto?

A primeira razão está à vista: o peso! Resumidamente, trata-se de um “meio-colar” para se encaixar no pescoço com comandos inclusos e cujas extremidades servem de apoio e ligação aos cabos com os auriculares. É uma solução que me acostumei a usar com uns LG (que até escondem os fios no seu interior) mas que, infelizmente, não têm cancelamento de ruído, mas que me proporcionaram a hipótese de poder fazer a comparação directa com estes novos 1000X.

Análise Sony WI-1000X

Não é, vamos ser realistas, a solução mais elegante. Lembro as brincadeiras dos meus colegas de profissão nesta área que mandaram “umas bocas” quando me viram com o colar na nuca. Mas não me importei, pois nem lhes senti (aos auriculares) o peso e conseguia arrumá-los em qualquer bolsa ou espaço. Os Sony WI-1000X promovem esta realidade, aparentando ter uma qualidade de construção exemplar, inclusive com pequenos “lembretes” com o nome da marca e modelo, construídos num material que pode sobreviver aos salpicos da chuva. Das hastes saem os cabos que terminam no que é realmente importante: os auriculares, cujo desenho é ergonómico quanto baste, e que têm um diafragma dinâmico de 9 mm para manter a dinâmica dos agudos e graves que trabalha em conjunto com o diafragma Balances Armature que para um som mais natural. O resultado é muito intenso, com uma resposta de gama que me satisfaz plenamente, tendo em conta que não estou a usar uma concha fechada.

Análise Sony WI-1000X

Estes auriculares estão também preparados para a reprodução de música no formato de alta resolução (Hi-Res). Socorri-me do Walkman que me acompanha com ficheiros legais e genuínos (cada música pode chegar a ter um gigabyte) e, garanto-vos, tudo é diferente… para melhor! Mas, mesmo embora o possamos fazer através do emparelhamento por bluetooth e NFC com este Walkman ou qualquer smartphone com a característica, optei por ligar o cabo físico (USB/MiniJack) incluso para obter a máxima qualidade sonora. O interessante é que esta solução, que é estranha visualmente, faz todo o sentido e transforma os 1000X nos verdadeiros auscultadores Hi-Res com cancelamento de ruído eficaz e duradouro, pois assim não gastamos a bateria do colar.

Engenhoso, Sony, muito engenhoso!

Análise Sony WI-1000X

A marca nipónica habituou-nos “mal” e continua a fazê-lo, por exemplo, através da tecnologia Digital Sound Enhancement Engine HX (DSEE HX para os amigos) que, resumidamente, melhora a qualidade dos ficheiros musicais que temos guardados no equipamento reprodutor, seja ele qual for restaurando parte dos dados (ou gama de frequências) que foram “apagados” na compressão. Mas claro que é uma questão que só interessa à malta que já ouviu música em qualquer outro formato, e repito, qualquer outro formato que não o devastador e medíocre MP3.

Também extraordinário é todo o mundo que se abre com uma aplicação. É bem verdade, existe uma App para tudo e, logicamente, também para auriculares, porque não? Denomina-se Sony Headphones Connect e abre o caminho para um novo mundo.

Por exemplo, e através do GPS do telefone, os 1000X adaptam-se ao que estamos a fazer, como caminhar, sentados ou em esforço físico (leiam isso como preferirem ou na posição que entenderem).

Podemos definir o controlo do som ambiente de 0 a 20 com possibilidade de focar a voz (telefonemas).

Existe um optimizador de pressão atmosférica o que faz todo, mas todo o sentido para quem viaja de avião e é alterado mediante as “atmosferas”.

Podemos controlar a posição do som, ou seja, escolher o ponto da transmissão, à esquerda ou direita, frente ou traseira. Surround a quanto obrigas.

Por falar nele, podemos escolher o tipo de ambiência, mas confesso que este género de equalizações nunca foi eficaz (arena, palco, discoteca, essas coisas) e que poucas diferenças consegue, parecendo mais que estamos a usar um capacete de mota ou um escafandro.

Bom, mas memo bom, é o equalizador já com pré-definições mas com memórias disponíveis (mais que uma) para os nossos gostos.

Podemos escolher entre modo com prioridade à qualidade do som ou à ligação estável.

Ou ligar ou desligar o supra-citado DSEE HX, assim como o economizador de energia e a vibração para nos anunciar a chamada telefónica que, naturalmente, podemos fazer através do microfone embutido no colar.

Bom, na verdade, tudo isto oferece uma maior dinâmica e mais valia aos Sony 1000X e comecei a perceber o porquê do preço final. Afinal, o grande ditado é real: nunca critiques o exterior sem ver o interior (ou algo assim, sou conhecido por desfazer todos os ditados).

Análise Sony WI-1000X

Por tudo isto, serão os 300€ um valor assim tão elevado para uma solução que, para além de ser diferente das outras, apresenta um conjunto de vantagens pouco usuais?

Pois estou em crer que se ultrapassarmos o facto de termos de usar uma espécie de meio colar, vamos perceber que o equipamento é ideal para o homem de negócios que viaja de país em país, para a mulher multifacetada que trata dos filhos, encomenda o jantar, escreve o relatório e ainda coordena o jantar de família ao domingo, ao miúdo que anda de skate para todo o lado e pode prevenir que um carro o passe a ferro ou para a teenager que conversa alegremente pelas redes sociais com as BFF nos intervalos das músicas que o telefone debita.

Sim, os WI-1000X valem todos os euros. E ainda trazem um cabo, uma bolsa de transporte e uma espécie de colar.

PVP: 300€

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Siga o VoiceBox

QUAL O MELHOR SMARTWATCH 2017?

A ESTREIA EM DUAS RODAS

Vídeo da semana