Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.


O smartphone Sony Xperia XA2 Ultra faz-me lembrar o colosso de Rodes tal é a sua dimensão, portanto será colocado na prateleira dos Phablets.

A primeira dúvida é se o devo olhar, tratar e utilizar como o maior dos smartphones ou como o mais pequeno dos tablets.

Sim, o Xperia XA2 Ultra é assim tão grande (163 x 80 x 9,5 mm), está muito bem construído, tem algumas virtudes mas também no melhor pano cai sempre uma nódoa.

A Sony fez, tempos atrás, o considerado melhor smartwatch do mercado mas, como tem vindo a ser hábito, existe qualquer coisa na mentalidade nipónica que trava o que parece ser um trunfo comercial (e trendy) para reapostar noutras áreas.

E esse smartwatch será o melhor amigo deste XA2 Ultra, pois passamos a ter o melhor de dois mundos. Mas já lá vamos.

Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.

Se bem que a marca conseguiu superar a enorme crise que recentemente a fustigou, apostando e bem nos segmentos fotográfico e áudio, quem por uma vez teve a sorte de usar um Xperia sabe bem que o emblema tem qualquer coisa de cativante.

Pode muito bem ser pelo design que foi arrojado pela diferença até à mais recente gama, do qual este XA2 Ultra faz parte, pela qualidade óbvia de todos os elementos (tenho um Sony Tablet S de 2012 que ainda funciona melhor que um modelo moderno de muitas marcas que pululam por aí), ou porque trazia consigo toda uma suíte de aplicações que, há 10 anos, faziam a diferença.

Um novo Xperia continua a ser “um” Xperia?

Infelizmente, com alguns erros básicos de comunicação e uma evidente falta de distribuição e aposta, a marca Xperia foi desaparecendo das prateleiras em Portugal.

Porém, quem os tem ou mantém não pensa em mudar, por muito apelativas que outras marcas “marketizem” (inventei agora) o seu portfolio.

Então, em que prateleira cabe este Xperia XA2 Ultra?

Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.

O mata mini-tablets

Não há qualquer dúvida que, ao segurar pela primeira vez no XA2 Ultra, a primeira reacção que temos é do mais puro espanto: é mesmo muito grande!

Nem é uma questão de ser maior ou menor que qualquer outro, pois em termos físicos o Samsung Note 8 (ler análise) é-lhe muito similar, mas talvez devido aos enormes bezels (superior e inferior), à escolha por um azul claro, bem bonito por sinal, e o próprio aspect-ratio do ecrã, tudo parece maior do que realmente é (mais uma vez a comparação com o Note 8).

E, com certeza, esta situação tem vantagens e desvantagens.

Em termos de construção, e como normalmente encontramos nos equipamentos da marca, é um produto quase imaculado.

Nota-se o extremo cuidado colocado, por exemplo, no aro metálico que protege a objectiva principal.

Felizmente, a Sony manteve a gaveta para os cartões que se pode tirar e colocar sem a obrigatoriedade de usar o alfinete.

A colocação traseira – logo por baixo da objectiva – do sensor de impressões digitais está no local perfeito para um smartphone desta dimensão, sendo bastante ergonómico e facilitando a função.

A frente é dominada pelo enorme ecrã de 6″ Full HD e pelos sensores e flash que ladeiam a dupla objectiva frontal. Mas já lá vamos.

Especificações

A escolha da Sony recaiu no processador Qualcomm Snapdragon 630, optou por 4 GB de RAM e uma capacidade interna de 32 GB eMMC com expansão através de cartão com até 256 GB.

Embora o processador não seja o último grito, garantiu-me sempre um comportamento imaculado, sem qualquer tipo de engasgo ou quebra.

Mesmo em alguns jogos mais puxados, tudo correu às mil maravilhas.

E, atenção, este é um smartphone (ou phablet) que nos convida a jogar devido ao ecrã e até aos bezels, que se por um lado emprestam ao equipamento um aspecto mais antigo, por outro são perfeitos para por podermos segurar com ambas as mãos sem interferir no ecrã.

Esta solução é também óptima para ver vídeo! Ainda muito importante, os novos Xperia vêm de fábrica com AndroidOreo 8.0.

Para terminar esta secção, apontamento para a bateria com 3580 mAh, o inevitável e fantástico Modo STAMINA Inteligente e, finalmente, carregamento rápido Quick Charge 3.0.

As três Câmaras

Inevitavelmente, e quando se fala de Sony, espera-se sempre um extraordinário resultado em termos qualitativos no que respeita à fotografia e vídeo.

Este XA2 Ultra tem uma objectiva principal com 23 MP com sensor Exmor RS, sendo uma lente grande angular f/2.0 de 84°.

Se isto vos faz sorrir, acrescentem o Autofocus Híbrido, Zoom “com Nitidez” 5x, SteadyShot, ISO 12800 (!!!) e, atenção, gravação vídeo a 4K com gravação slow-motion a 120 fps.

Por seu turno, a câmara selfie é DUPLA e tem flash: temos por um lado uma super grande angular de 120º com 8 MP e abertura f/2.4 que trabalha em conjugação com uma objectiva de 16 MP com estabilização óptica de imagem e abertura f/2.0!!!

Também contamos com SteadyShot e sensor ExmorRS, o ISO já não apresenta valores tão impressionantes quedando-se pelos muito suficientes 6400 (nos 16 MP) e 3200 (nos 8 MP).

Para que serve, realmente, esta opção dupla?

É simples: as selfies ficam realmente nítidas e consegue-se resultados francamente interessantes em ambientes pouco iluminados, e quando queremos tirar uma foto de grupo aproveitamos da melhor maneira a super grande angular para cabermos todos dentro do fotomaton.

Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.

Em utilização

Confesso que alterei o meu comportamento quando utilizei este Xperia.
É realmente grande e pesado (221 g) e não facilita a vida de quem passa a vida a fazer e receber chamadas.
Optei então por utilizar auriculares com microfone enquanto passeava pelas ruas e o sistema mãos livres no carro pois entendi que esta será a opção óbvia de quem escolher um phablet com estas características.
Mas este XA2 Ultra pede-nos outra envolvência através do seu ecrã e pode ser um bom instrumento de trabalho.
Por exemplo, dividir o ecrã facilita a multitarefa e colocá-lo num pequeno stand e emparelhá-lo com um teclado por bluetooth elimina a necessidade de um tablet de maiores dimensões ou mesmo um portátil.
Naturalmente que é um grande companheiro para viagens, pois é quase um perfeito tablet para se ver vídeos. E sim, leram “quase”.
Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.
A diferença de tamanhos é aqui visível entre o BlackBerry, o Huawei P20 e o Ultra colosso
Ora como escrevi lá para cima, no melhor pano cai a nódoa e não consigo entender porque é que a Sony, logo ela, apresenta um colosso destes com apenas uma coluna montada e na base do corpo, ao invés de duas frontais estereofónicas que estão presentes em muitos dos Xperia.
É um dado que me tirou grande parte do entusiasmo que senti em toda a experiência, pois ia percebendo aqui e ali as vantagens de ter um equipamento destas dimensões, principalmente após emparelhá-lo com um smartwatch.
Se por um lado a presença de uma coluna arrefeceu os ânimos, confesso que também é com auriculares que geralmente vejo vídeos nos smartphones e ouço música através deles.
E, neste campo acústico, a Sony sabe muito bem o que faz.
Incorporou as suas mais válidas tecnologias como o Smart Amplifier, o Clear Audio + e Clear Bass que, em conjunto, proporcionam um som rico e envolvente que vão reforçar a excelente qualidade de imagem deste ecrã.
Contudo, há que ter em atenção que sob forte luz solar, vamos ter alguma dificuldade para conseguir ver e ler tudo com facilidade.
Esta análise ao Sony Xperia XA2 Ultra vem provar que o tamanho, afinal de contas, tem muito mais importância do que se julga ou admite.

Conclusão

O Sony Xperia XA2 Ultra é pensado para um utilizador específico que faça uso de um grande ecrã, seja para trabalho ou lazer, e que não se importe de transportar um peso pesado dentro do bolso.
Tem um ecrã enorme, fotograficamente é irrepreensível e a construção merece nota alta. Pena a ausência de um par de colunas que é incompreensível num smartphone desta dimensão.
Poderia também ter maior capacidade de memória, pois 32 GB hoje em dia dão para muito pouco, mas como mantém a opção do cartão de memória, é uma questão que se pode ultrapassar mas com mais um custo extra.

PVP: 430€

Galeria

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata