A Canon Legria Mini X alia a máxima qualidade de captação sonora à qualidade de imagem de alta definição, num pacote barato e muito transportável.

legria-mini-x-m

O que me dizem a uma Câmara de Vídeo extremamente portátil, com uma ojectiva preparada para um grande ângulo de captação, com uma espécie de tripé incorporado e com gravação de som estéreo com controlo manual? E se vos disse que tudo isto cabe numa mão, aliás, num pequeno bolso?

Ela existe, chama-se Canon Legria Mini X e é a grande adversária da primeira unidade do género, a já mítica Sony HDR-MV1. Ambas são únicas e têm exactamente o mesmo objectivo: aliar a máxima qualidade de captação sonora à qualidade de imagem de alta definição, num pacote barato e muito transportável.

A Legria Mini X surge no seguimento da Legria Mini original, apostando tremendamente na captação áudio e melhorando uns pózitos aqui e ali. Mas se a primeira Mini era apenas uma curiosidade, uma câmara cool para gravar #videoselfies, para filmar o Videocast na sala, na cozinha, na banheira (cuidado com os salpicos), na praia ou em qualquer lado devido à funcionalidade e, posso mesmo dizer, originalidade do seu stand (tripé), a Mini X (ou não tivesse um X) eleva-a a um outro patamar, respondendo às preces e necessidades de grupos de música, teatrais, enfim, tudo o que podemos pensar em fazer a olhar para uma câmara com dois microfones embutidos que emolduram a objectiva.

Este Stand em conjugação com o ecrã táctil LCD de ângulo variável com 2,7″, possibilita uma extraordinária liberdade de posicionamento, pois devido à detecção automática da orientação da câmara, não nos preocupamos mais em saber como a colocamos. Basta virar o ecrã para nós ou para quem nos está defronte, para cima, para baixo, há sempre uma janela perfeita para uma gravação de qualidade.

Canon-LEGRIA-mini-X-1000

A Imagem

Uma câmara portátil deste género tem de captar o maior ângulo possível. Tomemos como exemplo uma sala de ensaios (vulgo garagem) com uma banda de cinco elementos mais a panafernália de cabos, amplificadores e instrumentos. Coloca-se a Legria Mini X no chão, apoiada no stand e a apontar ligeiramente para cima. E com um único toque no botão de gravação, regista-se o primeiro videoclip de uma possível carreira de sucesso. Esta objectiva f/2,8 é uma Ultra Grande Angular que permite até 160/64º em gravação no formato MP4 (25p) e 150/51º em formato de qualidade HD AVCHD (1080/50i).

A focagem é automática, tem estabilizador de imagem óptico e um sistema SIM (redução electrónica de vibração) para Grandes Planos.

O sensor CMOS é de elevada sensibilidade e com retroiluminação tipo 1/2,3 com 12,8 MP de resolução, reforçado com o processador DIGIC DV4. Chega perfeitamente para imagens de qualidade HD, com muito bons destaques e cores. Logicamente que não há milagres e pouco podemos fazer criativamente, visto que o Zoom é fixo e só existe um simples filtro de cor primária. Mas serve exactamente para o que é pretendido e, mediante uma engenhoca ou suporte, podemos utilizá-la como uma espécie de Action Cam, embora com alguns e óbvios limites.

Canon-LEGRIA-mini-X-4

Efeitos e simplicidades

Com esta X podemos filmar em câmara lenta (só em formato MP4) até 1/4x ou rápida até x4, garante para algumas brincadeiras para futura edição. Devido a ser uma opção de raíz, os resultados são francamente satisfatórios e podemos criar sequências bem cool de um amigo num skate a cair no chão e a esfolar o joelho, como criar uma espécie de time-lapse de planos muito gerais de nuvens a passar ou carros numa cidade. Só depende da imaginação.

Tudo é controlado pelo dedo através do ecrã táctil, de boa resolução, embora tende a dificultar-nos a visibilidade em dias muito solarengos.

Como unidade moderna, lá está o Wifi para as necessidades de partilha social ou para comando à distância através do smartphone com a App instalada. Serve também para enviarmos os conteúdos directamente e sem fios para o computador ou smartmobile mais próximo.

LEGRIA_mini_X_Angle2_tcm13-1107568

E agora, o som

É neste campo que a Legria Mini X convence e para o qual foi pensada. Se conseguimos obter imagens bem definidas e de qualidade, a gravação de som é o propósito. E não se sai nada mal! Feita em formato PCM linear tem profundidade e verdadeira imagem estereofónica. O som é claro, muito definido e, conjuntamente com a roldana manual para controlar a entrada do nível, podemos visualizar os picos que provocam distorção, baixando quanto necessário o sinal de entrada. Serve ainda como atalho para configurigurar a direção e frequência em resposta para além de outras definições. Tudo é simples, eficaz, rápido e eficiente.

Contamos ainda com entrada para um microfone externo, junto à tomada de auscultadores para uma melhor noção do que se está a fazer.

Conclusão

Já fiz parte de grupos musicais (um que até foi famoso no seu tempo) e quem me dera ter tido, nessa época, um equipamento deste género, principalmente para filmar os ensaios com o quarteto de cordas convidado. Poderia ter melhorado tanta coisa, limado algumas incertezas, conferindo o pacote geral. Mas não existia nada disto. Gravavamos em cassete áudio e eramos uns sortudos.

É esta uma das principais funções da Legria Mini X: a gravação de ensaios, protagonimos, videocasts, entrevistasem situações mais complicadas, com a liberdade de ser extremamente compacta e leve. Ela é tão desejável que quero uma. Não preciso dela, mas quero. Percebem?

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata