O problema do Facebook é não conseguir estancar os números que ainda pecam por defeito e já se fala que a Austrália vai processar a rede social. Quem se seguirá?


Ontem, o todo poderoso CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, sentou-se para responder a muitas das questões que um batalhão de jornalistas tinha no bloco de notas. A sessão Q&A durou cerca de quatro horas, logo após o post que o próprio Mark publicou e que suscitou ainda maior polémica: afinal, não foram 50 milhões de contas “apanhadas” pela Cambridge Analytica… a coisa é pior, francamente pior.

Os dados actuais são muito diferentes e, se quisermos ser alarmistas, poderemos até argumentar que a diferença é quase o dobro! E, na verdade, quase que é: em vez de 50 foram 87 milhões de contas afectadas e, para piorar tudo isto, o próprio Mark diz que é uma “estimativa conservadora”. Curioso quando só estamos a falar de contas confinadas a um idioma oficial.

Na verdade, estou em crer que até as contas portuguesas, parte delas, caíram nas mãos erradas, pois um novo dado surgiu nestes últimos e conturbados dias: foi descoberta uma nova ferramenta para encontrar os perfis Facebook bastando, e agora atentem nisto, pesquisar alguém através do número de telefone ou email. Ou seja, basta ter um dado de uma pessoa para se encontrar o perfil, secreto ou não. O que depois se faz com ele, está ainda envolto em segredo, mas já sabemos que as mensagens / publicidade e etecétera e tal, são “taylor made”, ou seja, produzidos especificamente para cada um de nós. Imaginem, por um momento, que são um VIP global, uma pessoa mesmo famosa e, por conseguinte, ciosa das suas contas particulares. Este esquema consegue chegar facilmente a essas contas e, naturalmente, abusar das mesmas. Isto não é só ilegal como ultrapassa todo o próprio conceito de privacidade. A que ainda existia.

Mas as más notícias para o Facebook não ficam apenas pela queda do valor das acções na bolsa americana, pelo abandono público por parte de alguns players e marcas, e pelo crescente descrédito que a polémica tem vindo a alimentar. Acontece que o próprio Mark afirmou que vai precisar de ANOS para conseguir dar a volta ao texto, ou seja, garantir a nossa privacidade e segurança de dados. Anos???? “Sim, pelo menos dois”.

Mas, na verdade, nada muda. O CEO garante que a rede vai continuar a colectar dados sobre os seus utilizadores, pois porque com mais data, mais garantia de um melhor serviço e de uma experiência de utilização com valor acrescido. Uma coisa tenho de afirmar: o homem tem coragem e até menospreza todo o impacto deste escândalo. E é bem capaz de ter razão: o que hoje está na boca do mundo, amanhã já foi esquecido.

Mark Zuckerberg tem agora que fornecer mais dados ao seu batalhão de advogados pois vai apresentar-se ao Congresso norte-americano já no próximo dia 11. A única garantia que avançou é que não se vai demitir, pois essa nem é uma discussão no coração dos principais accionistas. Ele lá saberá.

 

Fontes:

1

2

3

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

VOICEBOX é um Blogue de João Gata

Siga o VoiceBox

QUAL O MELHOR SMARTWATCH 2017?

A ESTREIA EM DUAS RODAS

Vídeo da semana