Lar 2.0: estar a funcionar significa estar online e 39% das pessoas ainda não trancaram a porta da rua


Foi numa atípica fresca manhã de um quente Setembro madrileno, que a Kaspersky recebeu os jornalistas ibéricos para o já costumal encontro anual.

Este ano, contudo, tudo é diferente, pois a empresa está a ser fortemente contestada pela administração Trump que lhe quer tirar a responsabilidade da segurança informática nos mais emblemáticos edifícios e serviços governamentais norte-americanos. Foi com a resposta a esta polémica que o evento foi iniciado pela intervenção de Alfonso Ramírez, Director Geral da Kaspersky Lab Iberia (e com quem mais tarde estive à conversa). A empresa nega rumores e tem até 27 deste mês para expôr a sua defesa. Depois disso, logo se verá, mas o horizonte promete uma nuvem cinzenta.

Kaspersky Madrid 2017

Durante a entrevista, Alfonso Ramírez confidenciou-me alguma preocupação, mas à questão da reputação dos produtos nos EUA, a resposta foi muito simples: “temos milhões de utilizadores dos nossos produtos em todo o mundo e com um nível de satisfação impressionante. Não iremos perder o mercado norte-americano devido à desavença com a administração central. Continuaremos fortes como até agora temos conseguido no segmento doméstico, onde temos 400.000 utilizadores, e também empresarial”. Prosseguiu dizendo que a Kaspersky vai mesmo continuar a abrir novos escritórios nos EUA, como o que está previsto para Los Angeles. “Se as empresas querem continuar a estar protegidas, é natural que continuem connosco”.

À questão se a Kaspersky ainda tem esperança na resolução desta desavença, nada ainda está perdido. “É um tema recorrente, temos excelentes ligações com muitos governos e relações directas com a Europol, Interpol e todas as forças que combatem a pirataria”. E em relação aos grandes clientes? “Temos um apoio muito grande de quem nos escolheu e o nosso blog está cheio de comentários em nossa defesa.”

Resta-nos ver o que vai acontecer até ao dia 27 que já está bem próximo no calendário. A verdade é uma: depois do wannacry, a Kaspersky assistiu a um grande fluxo de pedidos empresariais para reforçar a segurança. E em alguns casos, pasme-se, para iniciar essa mesma segurança. A Europa assustou-se, houve muitos serviços públicos e privados que fecharam, as coisas realmente mudaram. Mas a Europa tem também, a este nível, várias velocidades. Por exemplo, “Portugal é um early adopter que aposta em tecnologias disruptivas e gasta dinheiro na protecção. A Alemanha é um país bem mais fechado que o nosso onde as mudanças demoram mais tempo a acontecer”. Quem diria…

Kaspersky Madrid 2017

O evento teve outro mote, logicamente, e que apontou dados sobre as mudanças que estamos a assistir nos nossos proprios lares. Chamam-lhe Lar 2.0 que tem em média 2,4 pessoas e 0,3 animais de estimação e, agora, também 6,3 dispositivos conectados. Estes equipamentos são, naturalmente, portas para todos os vírus e malwares existentes e a existir e a sua defesa requer também uma grande mudança de hábitos e comportamentos.

Os dados do estudo Kaspersky Cybersecurity Index mostram que 2 em cada 5 pessoas (39%) não protege adequadamente os seus dispositivos de ciberameaças como hackers, malware ou fraude financeira, entre outros. Também no seu estudo anual, a Kaspersky Lab detectou que 63% dos utilizadores está preocupada com emails de phishing e websites com fins maliciosos. Durante o evento, também se mostrou um pequeno vídeo, com entrevistas de rua, em que uma “repórter” conseguiu ficar a saber as passwords de muitos entrevistados, na sua maioria jovens, apenas com uma mão cheia de questões. E isto é assustador.

Para combater os problemas que podem acontecer devido a uma falha, neste caso humana, as últimas versões do Kaspersky Internet Security e do Kaspersky Total Security foram desenvolvidas para proteger o lar, ajudando a que os utilizadores protejam os seus dispositivos e tudo relacionado com as suas vidas digitais, da mesma forma que se preocupam e protegem os membros das suas famílias e os seus animais de estimação.

Incluem tecnologia antiphishing para evitar emails falsos ou spam, páginas web falsas ou de ciberfraude em geral. Para além disso, a ferramenta actualizada “URL Advisor” diz ao utilizador, mediante um indicador em cada ligação, quando o motor de busca o direcciona a uma página web de confiança, suspeita, perigosa ou de phishing, ou a um website que possa criar danos no seu computador.

Kaspersky Madrid 2017

É no Lar 2.0 que estão as informações mais valiosas

Todos tiramos fotografias, centenas, milhares delas, através do smartphone, tablet e (curiosamente) câmaras fotográficas. E onde depositamos estes milhares de ficheiros? Na nossa casa, em discos rígidos que podem ser atacados facilmente por qualquer intruso digital.

Segundo um estudo de Kaspersky Lab, para muitos a perda de fotos digitais é mais stressante que o fim de uma relação ou uma doença num animal de estimação. Não me consigo rever nesta posição, mas sei de quem o faz. E é para estas pessoas que os novos produtos Kaspersky incluem a funcionalidade antiransomware que foi actualizada para fazer frente aos ataques mais complicados.

E o que fazer em relação à privacidade? A nova App Lock para Android oferece uma camada extra de protecção, incorporando um código secreto para que os utilizadores protejam certas aplicações, como apps de mensagens instantâneas, redes sociais, correios electrónicos ou outras informações, evitando que possam ser vistos por terceiros quando acedem ao telefone. Os utilizadores podem beneficiar do serviço de Conexão Segura da Kaspersky, incluído no Kaspersky Internet Security e no Kaspersky Total Security, que encripta todo o tráfego do utilizador quando este utiliza Wi-Fi inseguras ou páginas sensíveis.

Kaspersky Madrid 2017

Crianças conectadas no coração do lar

Os pais têm agora a possibilidade de fixar limites temporais para certos dispositivos no lar, restringir as aplicações que as crianças possam utilizar e prevenir o acesso a páginas de conteúdos para adultos, linguagem inapropriada ou informações sobre drogas e outros elementos, tudo incluído na solução Kaspersky Safe Kids.

Alfonso Ramírez comentou: “Graças às nossas investigações sabemos que a conectividade permanente criou preocupações lógicas sobre a segurança online, desde o medo de sermos vítimas de tentativa de fraude a preocupações pelo que os nossos filhos veem online. Com as últimas versões do Kaspersky Internet Security e do Kaspersky Total Security fazemos frente a estes problemas. São soluções que oferecem às pessoas uma melhor forma de proteger a vida digital das suas famílias, sem interferir na sua experiência online”.

O Kaspersky Internet Security e o Kaspersky Total Security já estão disponíveis. Para mais informações, visite o site da Kaspersky em www.kaspersky.pt

O Voicebox viajou a convite da Kaspersky.

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata