Estas séries TV já foram grande êxitos mas podem desaparecer dos ecrãs: The Blacklist, Gotham e X Files estão na lista negra e podem vir a ser canceladas


Todos os anos é a mesma lufa lufa, chega Maio e muitas séries TV são canceladas.

Os motivos são vários sendo, naturalmente, as fracas audiências o maior dos problemas.

Vamos então fazer um pequeno estudo sobre as séries TV que poderão deixar de nos divertir num futuro próximo.

Se é fã de alguma, tem três hipóteses:

  1. chorar

  2. ameaçar a produtora

  3. rever todos os episódios

É o que faço com as minhas saudades televisivas como o enorme Hugh Laurie em House MD ou a memorável, e minha eterna favorita, Northern Exposure.

Mas vamos ao que se passa hoje. Quais serão as séries TV sacrificadas? E o que eu próprio achei ao vê-las?

 

AUDIÊNCIAS MÉDIAS QUE PODEM NÃO SER SUFICIENTES

Voicebox- séries TV- the blacklist

The Blacklist

Gostei muito quando o The Blacklist começou, com um extraordinário James Spader que surpreendeu meio mundo a surgir calvo depois de muitas épocas na prestigiada Boston Legal.

The Blacklist tem uma audiência mediana cujos números não satisfazem as produtoras Sony e Universal (co-produção).

Deverá cair com uma última temporada para se despedir dos fãs.

Aguentei até: meio da segunda temporada.

Voicebox- séries TV- scorpion

Scorpion

As aventuras e desventuras de um grupo de génios inadaptados mas que, juntos, conseguem resolver todos os problemas, está a perder gás.

Será porque todos os dramas, impossíveis de correr bem, terminam sempre em happy-end?

O que é certo é que a CBS não está satisfeita com os 5,26 milhões de fãs. E, vamos ser francos, para os EUA estes números não são uma boa… equação.

Viram? Também posso ser um Escorpião.

Aguentei até: ainda vejo mas só quando não está mais nada no ar.

Voicebox- séries TV- designated survivor

Designated Survivor

Depois de 24, a tremenda série que nos fez seguir a trama em tempo real, Kiefer, o mais jovem dos Sutherland, conseguiu regressar ao horário nobre por mais uma e outra vez.

Mas será que o seu ar inocente e voz sussurrada aguenta mais épocas do Sobrevivente Designado?

Parece que não! Depois de um forte arranque, o Presidente tem perdido fôlego e a ABC não está contente.

Pudera, o trambolhão foi grande desde o início da segunda temporada ao episódio da semana passada: menos 37%, ou seja, de 5,49 para 3,47 milhões de espectadores.

Aguentei até: quase final da primeira temporada.

Voicebox- séries TV- Blindspot

Blindspot

A ideia era boa: uma mulher linda surgia do nada, sem memória e com o corpo todo tatuado. Essas tatuagens eram um mapa para decifrar o seu passado.

Cool, não é? Também achei. Mas a coisa começou a ficar enrolada, muitos passos sem rumo, e falta de espinha dorsal.

A NBC, sem saber o que fazer, colocou-a no pior horário possível: as noites de sexta feira.

Não deve ter chance.

Aguentei até: meio da primeira temporada.

Voicebox- séries TV- gotham

Gotham

Confesso que fiquei entusiasmado quando vi o episódio piloto. E, pelos vistos, não fui só eu.

Os números impressionaram nesse primeiro embate: 6,1 milhões de fãs por episódio.

Mas até o maior fã do Batman farta-se do mesmo tipo de vilões, crimes e punições.

Hoje, cada episódio não supera os 2,6 milhões de espectadores. Mau demais até para o Homem Morcego.

Aguentei até: meio da primeira temporada.

Voicebox- séries TV-agents of shield

Agents of S.H.I.E.L.D.

Mais super poderes, encadeamento de acção, traições, vilões e super heróis. E, no meio disto tudo, um fulano vestido de fato e gravata.

É mesmo ele, o agente Phil Coulson (protagonizado por Clark Gregg), que pode ser o principal problema desta série com origem na MARVEL.

O certo é que não passa da cepa torta e a actual quinta temporada pode ser a última.

A própria ABC não parece ter vontade de continuar o regabofe.

Aguentei até: início da segunda temporada.

 

AUDIÊNCIAS PÉSSIMAS MAS AINDA COM CHANCE

Voicebox- séries TV-brooklin nine nine

Brooklin Nine-Nine

Confesso, sou fã! Não perco um episódio, adoro o non-sense, o ritmo, os diálogos extraordinários e as personagens. Todas.

Esta é uma série que não é para todos, pois quem compreenderá um chefe de polícia negro e gay? Ui, não os EUA. E piora quando existe uma detective latina e bi-sexual.

Mas são estas diferenças que fazem com que os críticos e a imprensa venerem o show televisivo, mesmo que só tenha 1,75 milhões de espectadores por semana.

Convenhamos, é um número fraco demais, principalmente quando arrecadou um Globo de Ouro de 2014 para a FOX.

Aguentei até: vou até ao fim!

Voicebox- séries TV- x-files

X-Files

Pois que sou contemporâneo desta extraordinária criação do mago Chris Carter, produtor que também inovou em Millennium.

Mas, como em quase todos os regressos, os telespectadores mudam e os interesses também.

Mesmo assim, os resultados não foram maus e a décima temporada conseguiu mais de nove milhões de fãs em 2016.

A partir daí tem sido sempre a descer embora, pessoalmente, acho mesmo que a série está no pico de forma.

Problema grave e recente: Gillian Anderson não quer continuar a fazer de Scully.

Aguentei até: vou até ao fim!

 

E vocês, o que acham de tudo isto?

 

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata