As empresas tecnológicas estão sob fogo cerrado: depois do Facebook é o Youtube que começa a viver um pesadelo


Ainda não estamos refeitos (nem tão cedo a novela irá terminar) em relação às duras acusações de que o Facebook está a ser alvo, quando se abre uma nova caixa de Pandora.

23 grupos de defesa, ou seja, escritórios de advogados, entraram com uma queixa na Comissão Federal de Comércio norte-americana: afirmam que a popular plataforma viola a lei da privacidade infantil.

Esta acusação é gravíssima e o número de associados revela que a bomba está prestes a estourar: ao que parece, o Youtube grava dados sobre utilizadores menores de 13 anos, faculta esses dados a terceiros que depois se encarregam de distribuir publicidade “taylor made” aos menores sem o obrigatório consentimento dos pais ou encarregados de educação.

Podem ler a acusação aqui que choca contra a Lei de Protecção à Privacidade On-line para Crianças.

Responsáveis pelo Youtube adiantaram que estão a avaliar o processo e que vão fazer tudo para ultrapassar o problema, mas lançaram já uma defesa: o Youtube não pode ser utilizado por menores de 13 anos e que existe um aplicativo, denominado Kids, pensado propositadamente para essa faixa etária.

 

 

João Gata

Começou em vídeo e cinema, singrou em jornalismo, fez da publicidade a maior parte da vida, ainda editou discos e o primeiro dos livros e, porque o bicho fica sempre, juntou todas estas experiências num blogue.

View all posts

Add comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Análises – reviews

Breves

Siga o VoiceBox, um blogue de João Gata